Visite nosso Fórum!

Doenças e problemas comuns

Aspergilosis:
Causada por um fungo, a Aspergillus fumigatus produz endotoxinas quando os esporos do fungo entram no sistema respiratório da ave. Os sintomas incluem esforço para respirar, respiração acelerada, mudanças na voz, fezes
anormais, regurgitação, perda de apetite, aumento da sede, definhamento, diarréia, anorexia, secreção nasal, conjuntivite, dispnéia, sonolência e lesões internas nos órgãos respiratórios.
O tratamento é feito à base de antifúngicos (como amphotericin, flucytosine, fluconazole, itraconazole) e imunoestimulantes.

Aleijamento:
Uma ave aleijada não consegue usar (ou não possui) uma ou as duas pernas. Causas comuns: infecção, dor nos pés, fratura, luxação, torção, queimaduras, falta de exercício, artrite, poleiros inadequados.

Alergias:
Diversos produtos podem causar alergia em calopsitas. Os sintomas mais comuns são espirros, inflamação da cloaca. É importante deixá-los  longe de fumaça ou cigarros, cheiros fortes (produtos de limpeza, sprays, tintas).

Coccidiose aviária:
A Coccidiose é uma doença do trato intestinal (geralmente em pombos), disseminada por todo o mundo. Quase todos os pombos têm coccídeos alojados no intestino delgado.
A coccidiose representa uma constante ameaça às criações de aves de produção, assim como também pode afetar a criação de pássaros que vivem em cativeiro tais como Calopsitas, bicudos, curiós, canários, periquitos, etc.
Aves mal alimentadas, submetidas a “stress”, e aquelas que recebem rações pobres em nutrientes essenciais tais como a vitamina A e proteínas, são mais facilmente vítimas desta doença.
A transmissão da doença se dá através de oocistos que são eliminados com as fezes e a urina, e ao contaminar os alimentos, a água, e o meio ambiente, disseminam a coccidiose no plantel.
Ao se instalar na parede do intestino, Eimeria e Isospora causam lesões que serão responsáveis por danos à saúde da ave, ao dificultar a absorção dos nutrientes.
Os sintomas da coccidiose são: penas arrepiadas, sonolência, perda do apetite, diarréia de coloração variando do esbranquiçado ao vermelho (sanguinolenta), fraqueza, palidez na coloração da pele, magreza, problemas na reprodução com aumento na mortalidade dos filhotes etc.
O tratamento é feito através da administração de medicamentos denominados de coccidiostáticos dicionados à ração ou à água do bebedouro. A indústria farmacêutica dispõe de vários produtos para prevenir e curar a coccidiose, e amplos estudos vêm sendo realizados nessaárea, em face da importância econômica que ela representa.

Fezes:
As fezes deverão ser sólidas e tubulares, enroladas ou não, particionadas ou não.
Elas não devem cheirar mal; quando isso ocorre, pode ser sinal de infecções bacterianas.
Cores das fezes ou diarréia
- Amarela: deve-se à má absorção e digestão dos alimentos por problemas no pâncreas ou fígado;
- Esbranquiçada: deve-se a excesso de urato causado por problemas nos rins;
- Esbranquiçada e gordurosa: inflamação no pâncreas;
- Escura: pela presença de sangue coagulado e digerido, originário de  sangramento no sistema digestivo superior;
- Vermelha: devido a sangue vivo (ainda não coagulado) vindo de sangramento no sistema digestivo inferior, cloaca ou oviduto.
Cores da urina
- Uratos verdes ou amarelos: doença do fígado ou anorexia;
- Uratos marrons: envenenamento por chumbo;
- Uratos ou urina vermelha: sangramento interno;
- Aumento na quantidade de uratos: desidratação ou problemas nos rins;
- Aumento na quantidade de urina: aumento da ingestão de água ou comida com alto teor de água.

Diarréia:
É um problema relativamente comum nas aves, porém pode ser um prenuncio de alguma doença grave.
Normalmente as fezes são verdes e firmes, misturadas com urina e uratos (parte branca). A diarréia pode ser causada por problemas no trato digestivo e órgãos associados (fígado e pâncreas) ou urinário, infecções bacterianas, psitacose, giardíase, candidíase, mudanças na dieta (frutas e folhas verdes). Remova frutas e vegetais da dieta, administre soro caseiro, mas se a diarreia perdurar por muito tempo, procure um veterinário com urgência, pois pode tratar-se de doença em estagio avançado.

Descoordenação:
Infecções, toxinas, tumores e deficiências vitamínicos podem fazer com que sua ave fique cambaleante. Ao apresentar alguns desses sintomas, procurar imediatamente auxilio veterinário:
-Cabeça inclinada: as causas mais comuns são traumas na cabeça (por exemplo, batidas durante o vôo), envenenamento por metal pesado (chumbo), infecções (no ouvido interno ougeneralizadas) e tumores.
- Fraqueza: se a sua Calopsita não consegue se manter no poleiro, pode ser sinal de infecção generalizada, nutrição deficiente (falta vitamina E ou selênio), fraturas, danos nervosos, artrite,falta de cálcio no sangue ou tumores.
- Paralisia das pernas: tumores abdominais, infecções, traumas, nutrição deficiente (falta vitamina E ou selênio), ovo preso ou danos nervosos.
- Convulsões: podem ser causadas por envenenamento, deficiência nutricional, epilepsia ou doença infecciosa.

Ganho de peso:
A obesidade em uma calopsita pode levá-la a desenvolver diversos problemas de saúde, incluindo diabetes, problemas respiratórios, cardíacos e hepaticos.
As causas poderão ser muitas, desde a ingestão de calorias em excesso, oferta de alimentos errados e gordurosos por parte de seu dono, falta de exercicios, hereditariedade e hipotireiodismo.
Estar atento quanto aos alimentos gordurosos, veja mais em alimentação.

Espirros:
Poderão ser causados por irritações passageiras ou alergias, mas também podem indicar problemas respiratórios, se acompanhados de tosse. Nesse caso, é possível ouvir chiados na garganta ou mudanças na voz ou canto. Geralmente a secreção nasal deixa as penas de cima das narinas marrons. As causas das infecções são grandes variações de temperatura no ambiente, gaiola ao lado de aquecedores ou ar-condicionado, intempéries.

Envenenamento:
Se sua calopsita ingerir ácidos ou produtos a base de petróleo, faça-a beber leite com pepto-bismol, clara de ovo ou azeite. Não provoque vomito!
Se for qualquer outro produto, provoque vomito com mostarda diluída colocada diretamente na garganta!

Hemorragia:
Se sua ave estiver sangrando após quebra de penas, unhas ou da ponta do bico, umedeça em água gelada um algodão ou uma gaze ou até mesmo um cotonete. E pressione a área de onde provém o sangramento. Siga ao veterinário tão logo o sangramento tenha sido controlado. (Em alguns casos, esfregar uma barra de sabão ou pó hemostático na superfície de onde vem o sangramento – ponta da unha ou do bico – pode temporariamente ajudar no controle da hemorragia). Nunca tente fazer um torniquete para interromper o sangramento, nem tente arrancar uma pena que porventura tenha sido quebrada e esteja sangrando. O estresse desse procedimento pode causar a morte de uma ave enfraquecida pelo sangramento. Tente impedir que o animal se debata na gaiola aumentando ainda mais a lesão e o sangramento. Gentilmente embrulhe a ave em uma toalha e a mantenha quieta e aquecida enquanto a transporta ao veterinário.

Inchaços
Inchaços ou caroços que surgem podem ser causados por traumas (batidas contra objetos, paredes, vidro) e geralmente são benignos.
Existem outras causas tais como abscessos, cistos, depósitos de gordura sob a pele, até mesmo tumores. Os abscessos são inchaços quentes, doloridos, avermelhados, causados por deposição de pus ( infecção bacteriana) e geralmente encontrados embaixo dos olhos, pés e bico.

Perda de apetite:
Mudanças no apetite podem ser resultantes de vários fatores, dentre eles: estresse, ambientes quentes, novos membros na família, nova comida, etc.
É importante observar se o fato da calopsita não comer está diminuindo sua atividade e estado de alerta, do contrário, pode ser um indicador de problemas.
Uma ave doente que não come direito não consegue manter sua temperatura corporal e então fica encorujada para manter-se aquecida.

Piolhos:
Manter a gaiola sempre limpa. Se forem poucos, passar solução de vinagre e água (1 colher de sopa para 1 litro água ), vaporizando por 4 dias.Se não obtiver resultado, o remédio mais eficiente é Kill Red (importado) – é o menos tóxico para sua ave.

Problemas no bico:
Existem varias doenças que afetam o bico, alterando a cor, provocando quebras, crescimento anormal, deformações, lesões e tumores.
Deficiências nutricionais (falta de proteínas ou excesso de vitamina A) e infecções bacterianas podem causar problemas.
Fratura de bico: Se a ave fraturou o bico, não tente fazer uma bandagem para segurar o bico no local. Mantenha a ave quieta e a leve imediatamente ao veterinário.

Problemas nos olhos:
Os sintomas mais freqüentes são piscadas freqüentes, olhos fechados, vermelhidão, inchaço e secreção, e podem ser causados por infecções bacterianas, vírus, fungos, ácaros, brigas com outras aves, irritações (produtos químicos). Havendo secreção, limpe com colírio oftalmológico ou soro fisiológico.

Psitacose:
Causada pela bactéria Chlamydia Psittaci. É altamente contagiosa, sendo transmitida por via aérea, fezes e fluidos respiratório, através do contato com aves infectadas. Nas aves a infecção pode ser aguda ou crônica. Pássaros jovens e estressados (doentes, em nova dieta ou em mudança) são os mais suscetíveis.
O tratamento, se feito corretamente, tem altas chances de cura, e é feito a base de antibiótico tetraciclina (oxitetraciclina, doxiciclina, vibramycin), durando 45 dias. Durante o tratamento, qualquer fonte de cálcio deverá ser eliminada. Um ponto a destacar é que a psitacose é uma zoonose, ou seja, pode afetar o ser humano.

Perda de peso:
Pode ser causada por estresse, mudança na alimentação, ou causas patológicas. Verificar se a ave não está gostando da alimentação, trocar por outra que seja de fácil aceitação e principalmente, seja saudável para ela!

Queimaduras:
Se for com gordura quente, passe farinha ou amido de milho, depois disso colocá-la imediatamente em água corrente para resfriar. Borrifar com água gelada diversas vezes ao dia, passar pomada para queimaduras.

Regurgitação:
A regurgitação nada mais é do que a expulsão do conteúdo do papo.
Algumas calopsitas podem regurgitar para brinquedos, espelhos e pessoas, na tentativa de alimentá-los – isso é uma profunda demonstração de afeto!
A regurgitação poderá ocorrer por bloqueio no papo, aumento das glândulas tireóides, infecções no papo, envenenamento por metais ou produtos químicos.

Sistema respiratório:
Respiração ofegante ou com o bico aberto: Se sua ave sob a menor condição de estresse já começa a apresentar respiração ofegante ou com o bico aberto, ela deverá ser submetida a um exame médico. Este não é um comportamento normal e provavelmente esteja ocorrendo devido a infecções bacterianas ou por fungos ou por ácaros.
Entre os principais sintomas envolvidos temos: dispnéia, corrimento nasal, inchaço infra-orbital, movimento de cauda, ruídos respiratórios e espirros. Bactérias e fungos são os principais agentes causadores de doenças respiratórias. Não devemos esquecer de vírus e ectoparasitas (a sarna também pode afetar as narinas). Outros parasitas se instalam na traquéia, prejudicando a vocalização das aves. Um quadro clínico bastante comum é chamado de Peito-Seco, onde a ave apresenta alteração respiratória, diminuição do apetite e uma atrofia do músculo
peitoral. Tratamentos suporte, antibióticos e boa ambientação, é o protocolo mais indicado.
Doenças respiratórias são altamente transmissíveis, e evoluem em um tempo muito curto, portanto devem ser detectados rapidamente e o tratamento iniciado o mais rápido possível.

Sistema digestivo:
Os principais sintomas podem ser: vômito, anorexia (animal pára de comer), diarréia, tenesmo (animal não evacua) e fezes alteradas (alteração de cor, formato presença de sangue, parasitas ou muco). Vômito e regurgitação.
Em geral, vêm acompanhados de outros sinais comuns a todas as doenças:
- Fezes amolecidas, com sangue, mal cheiroso e escorridas: São sintomas de Inflamação Intestinal. O sangue é proveniente de hemorragias causadas pela destruição de células intestinais. A região da cloaca fica constantemente suja, o corpo tenso e as penas eriçadas.
Pode ser causada por alimentos embolorados, mais comuns em épocas quentes, parasitas e microorganismos. Nestes casos, aparece febre. Através de exame determina-se a causa e o veterinário indica um antifúngico, um antiparasitário ou um antibiótico.

Vermífugo:
A vermifugação é feita antes da época da procriação, uma vez ao ano, em aves após aos 5 meses de idade.